Como a meditação pode ajudar na ansiedade?

Foto: Pixabay

Existem diversos artigos científicos demonstrando como a meditação pode nos ajudar a melhorar a qualidade de vida. Além disso, a meditação também está relacionada com a melhora nos sintomas de algumas doenças e até a prevenção delas. Dito isso, se quisermos melhorar não somente o nosso corpo, mas também a nossa mente (principalmente a ansiedade) é muito importante conhecer a meditação como ferramenta.

Antes de tudo é preciso saber o que é a ansiedade. De acordo com um artigo científico publicado pela American Family Physician, a ansiedade é um sentimento que pode ser uma reação normal ao estresse. Ela pode te ajudar a lidar com situações difíceis, podendo fazer você se sentir nervoso ou preocupado. A ansiedade se torna um problema quando acontece muitas vezes, você se sente fora de controle ou acaba fazendo com que você evite situações cotidianas.

Geralmente ansiedade é tratada com medicamentos, terapias específicas ou os dois ao mesmo tempo. O melhor a se fazer é sempre o indicado pelo seu médico de confiança, pois isso depende dos seus sintomas, suas preferências e outros problemas que você pode ocasionalmente ter.

E onde entra a meditação?

Devido a um mundo atual de tantas informações sendo trazidas a nós das infinitas maneiras possíveis, as pessoas têm entrado em processos mentais que fazem mal ao seu bem estar. Por isso, nos últimos anos, métodos alternativos como a meditação tiveram um aumento muito grande em sua procura já que são acessíveis e são menos propensos a causar efeitos adversos.

Diversos estudos mostram que a meditação pode ajudar com ansiedade. Os tipos de exercícios de meditação incluem tai chi e qigong. Eles usam movimentos lentos e cuidadosos, respiração relaxada e foco mental profundo.

Uma das causas da ansiedade é o sentimento de desrealização, despersonalização, medo de morrer ou de ficar louco. Isso está muito ligado a uma mente dispersa que fica pensando sobre as preocupações do trabalho, com a família, finanças e não consegue se focar no que está acontecendo no presente momento, gerando com uma tensão muscular constante e está sempre pensando em outra coisa que não seja o que está fazendo.

A meditação ajuda nos fatores de risco acima a medida que, durante a prática dela, é possível treinar para focar nas atividades que está fazendo, é possível treinar para esvaziar a mente e não pensar nas preocupações de forma que prejudique as suas atividades diárias. Além disso, os exercícios também ajudam no relaxamento muscular. Quando se consegue aprender e praticar consistentemente a meditação, geralmente é possível perceber uma melhora significativa em sua qualidade de vida.

Por todos esses motivos, é importante aprender e praticar a meditação em nossas vidas.

Fontes:

Goodwin et al., 2017. Goodwin H., et al: Generalized anxiety disorder, worry and attention to threat: a systematic review. Clin Psychol Rev 2017; 54: pp. 107-122

American Family Physician, 2010-04-15, Volume 81, Edição 8, Páginas 987-987

https://www.nccih.nih.gov/health/meditation/overview.htm

Publicado por Sávio Mancebo

Estudante da Faculdade de Medicina de Petrópolis

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: