Doença de Chagas

📅Atualizado em: 14/06/2020 – ⏱Tempo de leitura: 4 minutos

A doença de Chagas é encontrada em cerca de 2-3 milhões de pessoas no Brasil, sendo responsável por mais de 10.000 mortes em todo o mundo anualmente. Por ser característica de áreas rurais e condições desfavoráveis de moradia, é muito importante conhecer essa doença, já que o país encontra grande parte de sua população dentro desses parâmetros.

A doença de Chagas é causada por um protozoário chamado de Trypanossoma Cruzi. O protozoário chega ao nosso corpo por meio de insetos conhecidos popularmente como barbeiros, por picarem na região da barba. Mas, a forma com que o protozoário chega a nós não é pela picada, e sim através da urina e das fezes desses animais, que quando estão contaminados, podem nos infectar também.

O T. Cruzi não infecta somente humanos, mas também animais doméstico e silvestres. Esse fato é o que contribui para a transmissão da doença, já que esses animais acabam servindo de reservatório do protozoário.

Além da transmissão pelos insetos, outras formas também são possíveis. Essa formas são:

– Transmissão alimentar/oral: compõe cerca de 70% dos casos, associadas a alimentos com fezes do barbeiro ou preparadas com o barbeiro junto, principalmente o açaí.

– Transplacentária e transmamária (em fases agudas)

– Penetração na mucosa bucal de animais que caçam insetos

– Parenteral: transfusão de sangue, transplantes e por via sexual (na fase aguda)

A doença passa por 3 fases: aguda, indeterminada e crônica.

-Aguda: Células passam por um processo de perda de membrana por conta da multiplicação do protozoário e desenvolvimento de reação inflamatória. A maioria dos casos agudos são assintomáticos, porém podem ocorrer sintomas como: diarreia, hepatomegalia, mialgia, cefaléia, febre prolongada (mais de 7 dias), vômito, inchaço nas pernas e no rosto, linfadenomegalia, esplenomegalia. Além disso pode haver óbito, já que nessa fase há muitos parasitas no sangue.

– Indeterminada: a maioria dos pacientes com a doença se encontram nessa fase. A quantidade de parasitas no sangue já se encontra diminuída e não há presença de sintomas. O T. Cruzi se aloja nos tecidos e a pessoa pode ficar na fase indeterminada para sempre ou evoluir para crônica, uma vez que não há cura parasitológica

– Crônica: essa fase se instala após vários anos com a doença e praticamente já não são encontrados parasitas no sangue. Entre as complicações dessa fase são observadas miocardites crônicas, pode ocorrer destruição de plexos nervosos do TGI, megalovísceras, constipação crônica, distenção abdminal, ú lcera, colite isquêmica e etc. Pode ocorrer morte súbita.

Como se proteger?

– uso de redes de mosquitos em suas casas

– passar repelente

– melhorar hábitos de higiene no preparo de alimentos

– uso de colar inseticida em animais domésticos

Fontes:

https://saude.gov.br/saude-de-a-z/doenca-de-chagas

https://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/paracoccidioidomicose/930-saude-de-a-a-z/doenca-de-chagas

Publicado por Sávio Mancebo

Estudante da Faculdade de Medicina de Petrópolis

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: