O que são doenças crônicas não transmissíveis?

De acordo com portal do Ministério da Saúde, em 2015 as doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) foram responsáveis por 51,6% das mortes totais ocorridas na população de 30 a 69 anos no país. Segundo informações de 2018 da Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 41 milhões de pessoas morrem no mundo por causa de DCNT . Por esses motivos, é muito importante entender não somente o que é, mas também como é possível prevenir a fim manter seu corpo mais saudável.

As DCNT tendem a ser de longa duração e são o resultado de uma combinação de fatores genéticos, fisiológicos, ambientais e comportamentais. Os principais tipos de DCNT são doenças cardiovasculares, câncer, doenças respiratórias crônicas e diabetes mellitus.

Existem 4 fatores de risco em comum que cercam estas doenças e que são modificáveis:

1- tabagismo

O tabaco é responsável por mais de 7,2 milhões de mortes por ano (incluindo os efeitos da exposição ao fumo passivo). (Dados de 2018 da OMS)

2- Atividade física insuficiente

1,6 milhão de mortes anualmente podem ser atribuídas à atividade física insuficiente.(Dados de 2018 da OMS)

3- Alimentação não saudável

4,1 milhões de mortes anuais foram atribuídas ao excesso de ingestão de sal / sódio.(Dados de 2018 da OMS)

4- Uso nocivo do álcool

Mais de 1,6 milhão de mortes anuais atribuíveis ao uso de álcool no mundo são relacionadas as DCNTs, incluindo o câncer. (Dados de 2018 da OMS)

Por todos os motivos apresentados, é importante sempre controlar os fatores de risco para diminuir muito as chances de adquirir uma DCNT. Assim, você pode levar uma rotina que além de simplesmente evitar ter algumas doenças, é capaz de te gerar muito mais qualidade de vida.

Fontes:

Vigilância de Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT)

Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT)

Noncommunicable diseases – ONU

9 vantagens da telemedicina

Com o surgimento do COVID-19 a medicina no Brasil passou por uma grande mudança que veio para somar. A telemedicina já existia no país com uma série de restrições, e passou por um processo de flexibilização que gerou mais liberdade ao médico em seu uso. Nesta coluna listamos 9 vantagens que essa ferramenta têm a agregar para nós.

1- O paciente fica menos tempo fora do trabalho

O paciente não precisa se deslocar do seu local de trabalho para ir até o seu consultório e ficar esperando horas na sala de espera. Ele já possui a hora marcada e sabe exatamente quando começa a consulta. Em um pequeno intervalo no trabalho ele pode ser consultado e continuar suas atividades.

2- O paciente não tem despesas de viagem e tempo de deslocamento

O deslocamento é longo e, principalmente nas capitais, os pacientes demoram horas para chegar a um consultório e muitas vezes o deslocamento é caro devido a pedágios, estacionamentos, enfim. Todos esses custos não existem na telemedicina.

3- O paciente têm menos interferência nas responsabilidades de cuidar de crianças e idosos

Caso um pai ou uma mãe que precisa de um atendimento mas também precisa cuidar de seus filhos em casa, ou mesmo alguém que cuida de idosos integralmente em casa mas precisa de um médico, todas essas situações podem ser resolvidas via telemedicina. A pessoa continua no local cuidando do outro e consegue uma consulta no conforto de casa.

4- Nenhuma exposição a outros pacientes potencialmente contagiosos

Talvez essa seja a característica mais importante, inclusive foi o motivo principal para a flexibilização de seu uso durante a pandemia. Como os pacientes estão em casa e não expostos a outras pessoas que podem ter doenças contagiosas, o risco é muito menor, portanto, muito mais seguro.

5- O médico têm a possibilidade do aumento do faturamento

Como o médico ganha maior liberdade de tempo, é possível controlar melhor as consultas e saber se o seu tempo está sendo bem gasto. Existe aquela máxima da economia de oferta e procura, sendo assim, se sua agenda está se mantendo lotada, você pode aumentar o preço da consulta e ganhar mais.

6- O médico têm maior eficiência no escritório

Isso acontece devido ao menor número de cancelamentos e faltas nas consultas, esse fato será abordado abaixo.

7- Da poder ao médico para competir e ganhar mais que as clínicas

Clinicas possuem uma grande estrutura de marketing e vão atrás do paciente, assim eles pagam menos aos médicos pelo mesmo serviço. Você poderia ganhar mais já que a internet te permite ter um contato mais próximo com as pessoas que quando precisarem, sabem que é só questão de alguns cliques para ter uma consulta com você.

8- Melhores acompanhamentos de pacientes e melhores resultados em saúde

Isso acontece devido as ferramentas que a telemedicina proporciona. É possível registrar tudo que foi recomendado ao paciente e adicionar o acompanhamento nos prontuários eletrônicos.

9- O médico têm menos compromissos perdidos e cancelamentos

Voltando a esse assunto, o fato acima acontece devido a facilidade de acesso que a telemedicina proporciona. Por exemplo: imagina que uma pessoa que demora 2 horas por dia para chegar ao trabalho precisa ir ao médico. Como essa pessoa geralmente não conseguiu uma consulta no SUS pela fila de espera, ela marca uma consulta. Para se deslocar do trabalho até o médico é outra viagem. Então a telemedicina diminui os cancelamentos por isso, sem falar que o médico não fica até tarde esperando o paciente que nunca vai chegar, até tarde e acaba perdendo outros compromissos.

QUER SABER MAIS SOBRE A TELEMEDICINA? CLIQUE AQUI

Sua lista de pré-gravidez

Você ainda pode não estar grávida, mas há muito o que fazer agora para se tornar o mais saudável possível para um bebê em crescimento. Considere esta a sua lista de tarefas a na pré-concepção.

  1. Marque uma consulta com seu médico.

É verdade que você vai ver ele bastante depois de ter o bebê, mas é uma boa ideia também marcar uma visita com antecedência, mesmo que você já tenha engravidado antes. Se você tiver problemas de saúde que possam afetar suas chances de engravidar ou que possam tornar a gravidez mais arriscada, é importante controlá-las agora.

Se doenças como fibrose cística ou doença das células falciformes ocorrem na sua família ou no de seu parceiro, você também pode procurar um conselheiro genético ou fazer testes de triagem pré-concepção.

  1. Verifique suas gengivas.

Existe uma conexão entre boa saúde bucal e uma gravidez saudável. A doença gengival está ligada ao nascimento precoce e ao baixo peso ao nascer. Então agora é a hora de procurar um dentista para resolver qualquer problema.

  1. Pare de fumar e beber.

Você já deve saber que tabaco e álcool durante a gravidez nunca são bons. Eles são ruins para o crescimento de um bebê e podem causar problemas de saúde para ele quando ele ficar mais velho.

Mas mesmo agora, fumar e beber pode dificultar a gravidez e aumentar suas chances de aborto. Converse com seu médico sobre programas que podem ajudá-lo a abandonar esses hábitos.

  1. Reduza a cafeína.

Beber mais de duas xícaras de café ou cinco latas de refrigerante por dia (cerca de 250 miligramas de cafeína) pode dificultar sua concepção e aumentar as chances de abortar.

Mudar para o descafeinado agora tem outra vantagem: você não terá que aturar os desejos de cafeína durante as primeiras semanas de gravidez.

  1. Coma de forma inteligente.

Não há melhor momento para eliminar junk food e todas as suas calorias vazias. Certifique-se de consumir muitas frutas, vegetais, grãos integrais e proteínas magras todos os dias.

Uma dieta saudável antes da concepção pode diminuir a probabilidade de você ter diabetes gestacional, um tipo que afeta mulheres grávidas.

  1. Evite quilos extras.

Peso extra pode aumentar suas chances de problemas como diabetes gestacional e pressão alta durante a gravidez – uma condição chamada pré-eclâmpsia.

Geralmente, não é uma boa ideia perder peso enquanto estiver grávida; portanto, se você quiser perder peso, comece agora.

  1. Veja as vacinas.

Algumas doenças durante a gravidez podem fazer mais do que deixá-lo infeliz. Eles podem machucar seu filho. Converse com seu médico sobre as vacinas que você precisa agora e quais você precisará mais tarde.

  1. Pense nos remédios que você toma.

É importante informar o seu médico sobre todos os medicamentos que você está tomando – prescrição, venda sem receita, até vitaminas e ervas. Alguns deles podem afetar seu bebê.

Agora é a hora de começar a tomar um suplemento pré-natal de vitamina ou ácido fólico para reduzir o risco de defeitos congênitos.

  1. Seja exigente com frutos do mar.

Você provavelmente já ouviu falar que é inteligente evitar peixes com alto teor de mercúrio enquanto estiver grávida. Mas pode levar até um ano para o seu corpo limpar o elemento do sangue.

Peixe no seu prato duas vezes por semana é bom, mas repasse os tipos que contêm muito mercúrio.

  1. Academia.

O exercício não apenas o ajudará a obter um peso saudável, mas também o preparará para o trabalho de parto e parto. Quando você estiver esperando, procure aulas especiais de pré-natal que sejam seguras para as futuras mamães.

Pneumonia

Visão geral

O que é pneumonia?
A pneumonia é uma infecção pulmonar que pode variar de leve a tão grave que você precisa ir ao hospital.

Isso acontece quando uma infecção faz com que os sacos de ar dos pulmões (o médico os chama de alvéolos) se enchem de líquido ou pus. Isso pode dificultar a respiração de oxigênio suficiente para atingir a corrente sanguínea.

Qualquer pessoa pode contrair essa infecção pulmonar. Mas crianças com menos de 2 anos de idade e pessoas com mais de 65 anos correm maior risco. Isso ocorre porque o sistema imunológico pode não ser forte o suficiente para combatê-lo.

Você pode contrair pneumonia em um ou nos dois pulmões. Você também pode ter e não saber. Os médicos chamam isso de pneumonia ambulante. As causas incluem bactérias, vírus e fungos. Se a sua pneumonia resultar de bactérias ou vírus, você pode espalhá-la para outra pessoa.

Hábitos no estilo de vida, como fumar e beber muito álcool, também podem aumentar suas chances de contrair pneumonia.

Sintomas de Pneumonia
Seus sintomas podem variar dependendo do que está causando sua pneumonia, sua idade e sua saúde geral. Eles geralmente se desenvolvem ao longo de vários dias.

Os sintomas comuns da pneumonia incluem:

-Dor no peito quando você respira ou tosse
-Tosse que produz catarro ou muco
-Fadiga e perda de apetite
-Febre, sudorese e calafrios
-Náusea, vômito e diarréia
-Falta de ar
Junto com esses sintomas, idosos e pessoas com sistema imunológico fraco podem ficar confusos ou ter alterações na consciência mental, ou podem ter uma temperatura corporal abaixo do normal.

Recém-nascidos e bebês podem não mostrar sinais de infecção. Ou eles podem vomitar, ter febre e tosse e parecer inquietos ou cansados.

Se você tiver uma nova tosse, febre ou falta de ar, ligue para o seu médico para perguntar se poderia ser COVID-19. A doença com o novo coronavírus também pode levar a pneumonia.

Reduzindo seu risco

Obter pneumonia após a cirurgia pode ser bastante grave. Estudos sugeriram que a pneumonia adquirida no hospital pode ser fatal em 33% das vezes. O seu médico ajudará a aconselhar maneiras de se proteger, mas aqui estão algumas etapas que você pode seguir.

Siga as instruções do seu médico sobre não comer ou beber antes da cirurgia. Normalmente, o seu médico lhe dirá para não comer ou beber depois da meia-noite da noite anterior à cirurgia. Você deve seguir esse conselho. Se você estiver sob anestesia e ainda tiver comida no estômago, líquidos ou vômitos podem voltar e entrar nos pulmões. Isso pode levar a um tipo de pneumonia chamada pneumonia por aspiração. Felizmente, apenas seguir o conselho do seu médico reduz bastante o risco.
Peça a todos – família, amigos, médicos e enfermeiros – para lavar as mãos. A pneumonia pode ser causada por bactérias e alguns vírus. Portanto, você precisa garantir que as pessoas que tocam em você não estejam transmitindo germes desagradáveis.
Pergunte quando você pode começar a se movimentar. Deitar-se de costas por um longo tempo pode aumentar o risco de desenvolver pneumonia. Portanto, descubra quando é seguro começar a sentar e andar por aí.
Faça exercícios de respiração. Tente respirar profundamente 10-15 vezes a cada hora. Você também pode usar um espirômetro de incentivo para verificar sua função pulmonar.
Pare de fumar. Parar de fumar tem muitas vantagens para a saúde, é claro. Mas se você não conseguir parar completamente, pare por pelo menos uma semana ou duas antes da cirurgia. Dar uma pausa nos pulmões os tornará mais fortes e diminuirão o risco de pneumonia.

ACNE

As lesões da acne incluem comedões (espinhas, cravos), pápulas e pústulas (pequenas protuberâncias, muitas vezes com cicatrizes), nódulos e cistos, geralmente seguidos de cicatrizes. Os locais comuns para acne são o rosto, peito, ombros e costas – os locais das glândulas sebáceas.

VISÃO GERAL:

O que é ACNE?
A acne é a condição de pele mais comum que as pessoas experimentam. A maioria das pessoas desenvolve acne em algum grau durante a vida. Embora afete principalmente os adolescentes que sofrem alterações hormonais, muitas pessoas desenvolvem acne quando adultos. A acne pode ser leve (poucas espinhas ocasionais), moderada (pápulas inflamatórias) ou grave (nódulos e cistos). Cicatrizes podem ocorrer. O tratamento depende da gravidade da condição.

Qual é a causa da ACNE?

A acne é principalmente uma condição hormonal causada por hormônios masculinos, que normalmente se tornam ativos durante a adolescência. A sensibilidade a esses hormônios – combinada com bactérias da superfície (pele) e lipídios (ácidos graxos) nas glândulas sebáceas (óleo) – produz acne. Os locais mais comuns para acne são o rosto, peito, ombros e costas – os locais das glândulas sebáceas.

A primeira lesão na acne é um comedão ou poro entupido (espinhas, cravos). Estes podem inflamar-se e progredir para pápulas e pústulas (pequenas protuberâncias), nódulos e cistos. Nódulos e cistos maiores e estalos de espinhas geralmente levam a cicatrizes.

Certas condições podem agravar a acne.

1- Níveis flutuantes de hormônios na época da menstruação (menstruação)
2- Manipulação de lesões de acne
3- Bloqueio de roupas e chapelaria, como chapéus e capacetes esportivos
4- Poluição do ar e certas condições climáticas, especialmente alta umidade

A isotretinoína retinóide oral (Accutane®) é reservada para pacientes com doença grave (nodular ou cística) ou com cicatrizes. Accutane diminui o tamanho das glândulas sebáceas, a origem anatômica da acne. Sem glândulas sebáceas ativas, a acne diminui ativamente.

Por ser um medicamento tomado por via oral, existem mais efeitos colaterais possíveis do que com tratamentos tópicos. Todos os pacientes experimentam ressecamento da pele. Menos comumente, os pacientes podem ter lipídios sangüíneos elevados ou enzimas hepáticas.

Mulheres em idade fértil devem praticar o controle da natalidade antes e durante o tratamento com Accutane® e por vários meses depois devido ao risco de defeitos congênitos devastadores. Devido a esses riscos, o uso de Accutane® exige testes laboratoriais regulares (lipídios, testes de gravidez) e acompanhamento durante o curso da medicação, que geralmente dura 5 ou seis meses.

A terapia hormonal é útil para algumas mulheres com acne, especialmente para aquelas que sofrem com a menstruação ou com sinais e sintomas (períodos irregulares, queda de cabelo) do excesso de andrógeno (hormônio masculino). A terapia hormonal consiste em baixas doses de estrogênio e progesterona (pílulas anticoncepcionais) ou um medicamento chamado espironolactona que bloqueia o efeito dos hormônios masculinos no nível do folículo piloso e da glândula de óleo.

Por que ter um animal de estimação pode aumentar meu humor e manter meu cérebro saudável?

Os animais de terapia há muito tempo são companheiros confiáveis ​​de pessoas com deficiência. Agora, animais de todos os tipos estão provando seu valor para indivíduos que lidam com uma ampla gama de condições de saúde mental, incluindo depressão e até demência.

A fisiologia ajuda a explicar por que os animais são terapeutas tão eficazes para todos nós. Simplesmente acariciar um animal pode diminuir o nível do hormônio do estresse cortisol e aumentar a liberação do neurotransmissor serotonina, resultando em pressão arterial e batimentos cardíacos mais baixos e, possivelmente, em humor elevado.

Animais de estimação podem trazer calma e companheirismo

Seja você um adulto mais velho, um paciente que lida com problemas de saúde mental ou um cuidador, é fácil sentir-se sozinho e oprimido. A depressão também não é incomum, um subproduto do isolamento e da solidão.

Nesses casos, o vínculo com um animal pode ajudar a preencher esse vazio com apoio social e, principalmente dos cães, amor incondicional.

Um estudo australiano de 199 pacientes que estavam lidando com problemas de saúde mental, como depressão, ansiedade ou transtorno de estresse pós-traumático, descobriu que 94% relataram uma “redução da ansiedade por estímulo tátil” graças a um cão de assistência psiquiátrica (DAP). Além disso, 51% dos pacientes relataram que sua DAP era responsável por “interromper comportamentos indesejáveis”.

Animais de estimação também podem promover conexões humanas para seus donos. Pegue um cão para passear e estranhos que nunca sonhariam em se aproximar de você em outras situações iniciarão uma conversa centrada no animal. Mesmo um simples sorriso de um transeunte é uma conexão que pode alegrar o seu dia.

Uma pesquisa realizada com 14 adultos residentes na comunidade com 65 anos ou mais com animais de estimação pela revista Aging & Mental Health descobriu que seus animais de estimação podem beneficiá-los “fornecendo companhia, dando um senso de propósito e significado, reduzindo a solidão e aumentando a socialização”.

Mas, além de cumprir a cobrança como melhor amigo do ser humano, há outro benefício que animais de estimação, principalmente cães, podem trazer aos proprietários.

O benefício extra do exercício

Se seu animal de estimação é um cachorro, especialmente um ativo que adora passear, isso pode render um segundo benefício igualmente importante: exercício físico, que também é essencial para um estilo de vida saudável para o cérebro.

É concenso que os adultos precisam de pelo menos 150 minutos por semana de atividade aeróbica de intensidade moderada para obter boa saúde e dobrar esse valor para obter maiores benefícios à saúde. Uma caminhada rápida (pelo menos 5 km/h, cerca de 20 minutos) é qualificada como atividade de intensidade moderada.

A recompensa se estende além da saúde cerebral aprimorada até o controle de peso, melhor aptidão cardiorrespiratória e força muscular além de risco reduzido de doenças crônicas e assassinas, como doenças cardíacas, derrames, câncer e diabetes.

Sabe-se que o exercício físico e o exercício aeróbico em particular são muito benéficos para a manutenção da saúde do cérebro, mesmo em pessoas em risco de desenvolver demência e doença de Alzheimer (DA). Você pode fazer uma grande diferença em termos de como seu corpo está funcionando e, como resultado, como seu cérebro está funcionando.

Você está vivendo com propósito? Isso poderia melhorar sua vida

Existem muitas dicas sobre como viver mais: coma saudável. Exercite-se com mais frequência. Durma bem. Temos bons dados mostrando que fazer essas coisas, juntamente com exames preventivos regulares, pode prolongar a vida útil.

Mas e quanto a viver uma vida propositada? Ter um senso de propósito ajuda você a viver mais tempo? Algumas pesquisas recentes sugerem que esse pode ser o segredo da longevidade.

Quando eu estava na faculdade de medicina, conversávamos muitas vezes sobre o paciente que tem câncer, que quer viver mais alguns meses para ver a filha se casar ou o filho se formar no ensino médio. Embora haja alguns dados conflitantes, acredito que a perspectiva mental das pessoas pode prolongar a vida de alguém. Pode não ser tão simples quanto sobreviver por pura força de vontade, mas a conexão mente-corpo é poderosa.

Então, por que esse pode ser o caso?

Penso que um dos principais motivos pode ser o fato de termos senso de propósito nos ajudar a ser menos estressados. O estresse libera cortisol, e o excesso de cortisol danifica o coração, o cérebro e os músculos, afetando nossa saúde e nossa longevidade. As pessoas que têm um senso de propósito podem experimentar menos estresse, principalmente porque, ao se concentrarem no quadro geral, podem manter os estressores do cotidiano em perspectiva.

Eu também suspeito que pessoas com propósito podem cuidar melhor de sua saúde. Eles conhecem as mais recentes recomendações de triagem e solicitam laboratórios e desejam analisá-las. Eles se interessam por sua saúde e isso geralmente permite que os problemas sejam detectados mais cedo.

Ter um senso de propósito também faz uma enorme diferença psicológica. Como você se sente quando está em uma missão? Motivado? Focado? Forte? Não subestime o poder da conexão mente-corpo.

Portanto, além de comer essas frutas e legumes e receber 10.000 passos por dia, pense no que você quer que as pessoas lembrem de você e no que o motiva a se levantar de manhã. Se você ainda não desenvolveu uma consciência de propósito, existem muitos recursos disponíveis para ajudá-lo, e eu recomendo que você gaste algum tempo hoje pensando nisso. E lembre-se de que seu objetivo mudará ao longo do tempo; portanto, talvez você precise revisar a questão de propósito à medida que envelhece. Mas vale a pena o esforço: vivendo com a consciência de por que você está aqui, você gostaria de estar aqui por mais tempo.

Quantas calorias você realmente precisa?

Se você está tentando perder peso, ganhar peso ou manter o seu peso atual, pode ficar tentado a procurar as calorias sugeridas por dia para o seu sexo, idade e nível de atividade. A tabela a seguir deve ser usada apenas como ponto de referência, porque cada pessoa é metabolicamente muito diferente, mesmo quando tem o mesmo tamanho e sexo. As seguintes faixas de calorias sugeridas são geradas usando o cálculo da necessidade de energia estimada.

Para manter o peso, a tabela abaixo mostra seu limite diário de calorias. É baseado na sua idade, nível de atividade e no IMC (índice de massa corporal) de 21,5 para mulheres e 22,5 para homens.

Para perder peso – Costumava-se recomendar que, para perder um quilo por semana, você diminuísse o total de calorias em 500 por dia. Agora, os pesquisadores acreditam que a perda de peso é um processo mais lento e que uma diminuição de 10 calorias por dia leva a uma perda de cerca de um quilo por ano, mas pode levar até três anos para chegar lá. A chave é ser paciente e trabalhar com um nutricionista para ajudar a encontrar o plano certo para você.

Para ganhar peso, é melhor trabalhar em um plano com um nutricionista.

Para uma perda de peso bem-sucedida que você possa manter com o tempo, os especialistas recomendam escolher alimentos com menos calorias, mas ricos em proteínas, vitaminas, minerais, fibras e outros nutrientes.

SexoIdadeSedentário*Moderadamente ativo*Ativo*
Mulheres19-30
31-50
51+
1800-2000
18001600
2000-2200
2000
1800
2400
2200
2000-2200
Homens19-30
31-50
51+
2400-2600
2200-2400
2000-2200
2600-2800
2400-2600
2200-2400
3000
2800-3000
2400-2800
  • Sedentário significa um estilo de vida que inclui atividades físicas leves associadas a atividades típicas da vida diária. Moderadamente ativo consiste em caminhar 1,5 a 3 milhas por dia a um ritmo de 3 a 4 milhas por hora (ou o equivalente). Uma pessoa ativa caminha mais de 5 quilômetros por dia no mesmo ritmo ou exercício equivalente.

Ler livros sobre o assunto também é uma boa fonte de conhecimento para alcançar os seus objetivos. Veja alguns livros aqui.

7 mitos sobre a doação de órgãos!

Vivo ou morto, a doação de órgãos é uma das coisas mais impactantes que você pode fazer, e há pacientes que precisam de você hoje.

Muitas pessoas estão confusas ou têm dúvidas sobre o que realmente significa ser um doador de órgãos.

Aqui vamos trazer os 7 maiores mitos sobre a doação de órgãos. Compartilha com seus amigos no final, essa mensagem precisa alcançar mais pessoas!

“Você estará dando o presente da vida. Deixe o seu legado”

Mito 1: Existem órgãos suficientes para quem precisa deles

Atualmente o Brasil tem 45 mil pessoas na fila por um órgão, gente esperando rim, coração, fígado, córneas. Essas aguardam um transplante que salva vidas e mudam vidas. Alguém é adicionado à lista de espera a cada hora e muitos pacientes morrem todos os dias porque o órgão de que precisavam não foi doado a tempo.

Em 2018, 30.000 pessoas estavam na lista de espera, esse número saltou para 45.000 no ano de 2019.

Os tempos de espera são um grande problema e a espera típica só têm aumentado ao longo dos anos.

Mito 2: Somente os mortos podem doar órgãos

Os doadores vivos são cruciais.

A popularidade da doação de órgãos vivos – principalmente para os rins – aumentou muito nos últimos anos, à medida que as pessoas se tornam mais conscientes da diferença que isso faz.

Um rim de um doador falecido pode durar de 10 a 12 anos, enquanto um órgão doador vivo pode durar de 10 a 20 anos ou mais.

Um transplante de um doador vivo também pode ser planejado e agendado, para que o paciente que recebe o órgão possa ter uma família por perto para ajudar.

Mito 3: Muitas religiões proíbem a doação de órgãos

A maioria das religiões incentiva a doação de órgãos como um ato de amor e compaixão. Exitem trabalhos com líderes de várias comunidades religiosas, e eles estão muito abertos a isso. Dar um órgão significa dar vida, e isso é profundamente significativo para as pessoas de fé.

Mito 4: Você não pode ter um caixão aberto se for doador de órgãos

Os funerais com caixão aberto podem ocorrer após doações de órgãos, olhos e tecidos. Os arranjos fúnebres continuarão como planejado.

O corpo é tratado com muito cuidado e respeito através do processo de doação, enfatizando que os órgãos não são vistos como mercadorias, mas como presentes preciosos.

Mito 5: Os médicos não tentarão salvar minha vida se eu for doador de órgãos

Na área da saúde, todos somos movidos por um princípio: não faça mal. Sua vida sempre vem em primeiro lugar, não faz sentido não salvar uma vida para salvar outra. Os médicos não são apenas pessoas que curam doenças, eles devem ser éticos e compassivos independente de quem seja.

Mito 6: Os doadores de rim precisam ser membros da família

Muitos doadores são altruístas. Os médicos associam o doador ao paciente usando vários critérios, incluindo o tipo sanguíneo. A pesquisa continua trazendo novos avanços para melhorar o transplante de órgãos e gerenciar possíveis problemas, como a compatibilidade do tipo sanguíneo.

Mito 7: Somente pessoas jovens e saudáveis ​​podem ser doadoras

Para os rins, os doadores vivos variam de 18 a 80 anos. O que importa é que você esteja com boa saúde física e emocional.

Se você estiver doando órgãos após a morte, poderá fazer isso mesmo se tiver problemas de saúde.

Sua condição médica determinará quais órgãos você pode dar.

Quanto à doação falecida, espera-se que todos participem. Você dará o presente da vida. Deixe o seu legado.

Bônus: Um livro para mudar a sua visão

Um Ato de Amor: Quando viver ou morrer depende apenas de um gesto. 

Se você já possui uma assinatura no Kindle, pode ler de graça na plataforma.

A história é assim: O pequeno João Pedro mora em um Hospital desde que nasceu, ele foi abandonado por sua mãe, e o pai vive todos os dias ao seu lado a angustia de suas inúmeras paradas cardíacas, e a espera de um pequenino coração para João Pedro, que já não pode mais esperar. Neste mesmo Hospital vai dar entrada Michele, uma jovem deprimida que tenta depois de ser abandonada pelo marido, tirar a própria vida. Ela irá conhecer em cada porta que abrir daqueles corredores frios do Hospital,várias historias de pessoas lutando para viver, historias de abandono, de superação e amor. Envolva-se, emocione-se, sinta toda a realidade de quem doa ou recebe um órgão, e depois desta historia, sua visão sobre a vida não será mais a mesma.

Vale a pena a leitura.

Obrigado por ler este artigo, até o próximo!

TOP 5: melhores livros de Bioquímica para comprar

Fala, galera! Hoje vamos dar início a série de indicações de livros que vocês precisam ter na faculdade. O tema é Bioquímica, matéria que você vai cursar provavelmente no primeiro ou segundo ano da faculdade.

A matéria pode ser fácil ou difícil a depender de onde está sendo o seu material de estudo, o seja, por qual livro você está estudando. Sendo assim, é muito importante você escolher uma boa fonte de conhecimento.

O top 5 não tem como objetivo falar que um é melhor ou pior que outro, somente informar os 5 melhores e informar sobre as peculiaridades de cada um.

Top 5: segue a lista abaixo

É um livro completo, que traz a bioquímica super aprofundada, porém é muito grande, acaba fazendo a famosa ”encheção de linguiça”, tornando a leitura MUITO pesada.

O livro traz muitos conhecimentos importantes e você pode e vai utilizá-lo, certamente. Porém, ao meu ver algumas informações são desnecessárias à formação médica por serem específicas demais.

Portanto, durante a leitura, você pode ir selecionando o que deve ser lido e entendido, e também aquilo que você pode “pular”, pois há coisas que você consegue perceber naturalmente que não são necessárias para o SEU estudo.

Mas como eu disse, é um livro completo e que você pode confiar, afinal, é um clássico da bioquímica.

LIVRO 2: “Bioquímica”, de Campbell.

É um livro didático, completo e claro, e não é tão extenso quanto o Lehninger.

Traz, em todos os capítulos, seções práticas, para aproximar o estudante da resolução de problemas. E traz também conexões bioquímicas, que destacam temas atuais e fazem conexão da bioquímica com a realidade.

LIVRO 3: “Bioquímica Ilustrada” , de Richard Harvey.

É um livro que traz as informações necessárias de forma clara, objetiva e simples, tornando o estudo mais leve e prazeroso.

Além disso, traz diversas figuras e diagramas que facilitam ainda mais o aprendizado da bioquímica. Vale MUITO a pena, gostei muito dele!!!

 LIVRO 4: “Bioquímica”, de Stryer.

É um livro com linguagem clara, e acessível. Completo e abrangente.

Possui diversas correlações com aplicações clínicas, associando o tema bioquímico estudado às doenças.

Uma boa opção para você que deseja estudar a bioquímica de forma mais aprofundada e não tão complicada.

LIVRO 5: “Bioquímica Ilustrada de Harper”.

Oferece uma abordagem concisa dos aspectos mais relevantes da bioquímica PARA O ESTUDO DA MEDICINA, ou seja, é um livro que seleciona aquilo que é importante para a medicina, evitando que você estude coisas que não terão nenhuma aplicação clínica/prática ao longo da faculdade/profissão.

MAIS DOIS BÔNUS!!

E por fim, trago dois livros que trazem a aplicação clínica da bioquímica.

São livros que não devem ser utilizados para o aprendizado das bases e fundamentos da bioquímica, mas sim para que, após aprender esses conceitos, você possa aplicá-los, estudando casos específicos e interpretando resultados bioquímicos.

BONUS 1: “Bioquímica Clínica para o Laboratório: Princípios e Interpretações”, de Motta.

Ele traz aspectos fisiológicos, correlações clínicas, e os métodos escolhidos para teste de diversos órgãos e doenças. Muito interessante tanto para os alunos quanto para os professores.

BÔNUS 2: “Bioquímica Clínica”, de Gaw.

Traz diversos resultados bioquímicos de testes dos mais diversos órgãos e doenças.

É um livro mais curto que o anterior, muito didático e interessante, tanto para você estudante quanto para um profissional.

Pra Concluir!!

Dentre todos esses livros que falei acima, enquanto estudava a bioquímica, usei praticamente todos em algum momento e preferi alguns livros, que foram os quais me identifiquei melhor.

Li o Lehninger, grande parte, algumas eu pulei por ver que algumas coisas não eram tão relevantes para o estudo. O Campbell também, muitas vezes, foi uma importante e boa opção.

E, quando estava mais apertado, com menos tempo, usava o Bioquímica Ilustrada de Harvey por ser mais resumidinho. E na realidade, no final deu tudo certo e me saí bem. Você também vai sobreviver tranquilamente. Boas escolhas dos seus livros, e bons estudos! Forte abraço!

%d blogueiros gostam disto: