7 mitos sobre a doação de órgãos!

Vivo ou morto, a doação de órgãos é uma das coisas mais impactantes que você pode fazer, e há pacientes que precisam de você hoje.

Muitas pessoas estão confusas ou têm dúvidas sobre o que realmente significa ser um doador de órgãos.

Aqui vamos trazer os 7 maiores mitos sobre a doação de órgãos. Compartilha com seus amigos no final, essa mensagem precisa alcançar mais pessoas!

“Você estará dando o presente da vida. Deixe o seu legado”

Mito 1: Existem órgãos suficientes para quem precisa deles

Atualmente o Brasil tem 45 mil pessoas na fila por um órgão, gente esperando rim, coração, fígado, córneas. Essas aguardam um transplante que salva vidas e mudam vidas. Alguém é adicionado à lista de espera a cada hora e muitos pacientes morrem todos os dias porque o órgão de que precisavam não foi doado a tempo.

Em 2018, 30.000 pessoas estavam na lista de espera, esse número saltou para 45.000 no ano de 2019.

Os tempos de espera são um grande problema e a espera típica só têm aumentado ao longo dos anos.

Mito 2: Somente os mortos podem doar órgãos

Os doadores vivos são cruciais.

A popularidade da doação de órgãos vivos – principalmente para os rins – aumentou muito nos últimos anos, à medida que as pessoas se tornam mais conscientes da diferença que isso faz.

Um rim de um doador falecido pode durar de 10 a 12 anos, enquanto um órgão doador vivo pode durar de 10 a 20 anos ou mais.

Um transplante de um doador vivo também pode ser planejado e agendado, para que o paciente que recebe o órgão possa ter uma família por perto para ajudar.

Mito 3: Muitas religiões proíbem a doação de órgãos

A maioria das religiões incentiva a doação de órgãos como um ato de amor e compaixão. Exitem trabalhos com líderes de várias comunidades religiosas, e eles estão muito abertos a isso. Dar um órgão significa dar vida, e isso é profundamente significativo para as pessoas de fé.

Mito 4: Você não pode ter um caixão aberto se for doador de órgãos

Os funerais com caixão aberto podem ocorrer após doações de órgãos, olhos e tecidos. Os arranjos fúnebres continuarão como planejado.

O corpo é tratado com muito cuidado e respeito através do processo de doação, enfatizando que os órgãos não são vistos como mercadorias, mas como presentes preciosos.

Mito 5: Os médicos não tentarão salvar minha vida se eu for doador de órgãos

Na área da saúde, todos somos movidos por um princípio: não faça mal. Sua vida sempre vem em primeiro lugar, não faz sentido não salvar uma vida para salvar outra. Os médicos não são apenas pessoas que curam doenças, eles devem ser éticos e compassivos independente de quem seja.

Mito 6: Os doadores de rim precisam ser membros da família

Muitos doadores são altruístas. Os médicos associam o doador ao paciente usando vários critérios, incluindo o tipo sanguíneo. A pesquisa continua trazendo novos avanços para melhorar o transplante de órgãos e gerenciar possíveis problemas, como a compatibilidade do tipo sanguíneo.

Mito 7: Somente pessoas jovens e saudáveis ​​podem ser doadoras

Para os rins, os doadores vivos variam de 18 a 80 anos. O que importa é que você esteja com boa saúde física e emocional.

Se você estiver doando órgãos após a morte, poderá fazer isso mesmo se tiver problemas de saúde.

Sua condição médica determinará quais órgãos você pode dar.

Quanto à doação falecida, espera-se que todos participem. Você dará o presente da vida. Deixe o seu legado.

Bônus: Um livro para mudar a sua visão

Um Ato de Amor: Quando viver ou morrer depende apenas de um gesto. 

Se você já possui uma assinatura no Kindle, pode ler de graça na plataforma.

A história é assim: O pequeno João Pedro mora em um Hospital desde que nasceu, ele foi abandonado por sua mãe, e o pai vive todos os dias ao seu lado a angustia de suas inúmeras paradas cardíacas, e a espera de um pequenino coração para João Pedro, que já não pode mais esperar. Neste mesmo Hospital vai dar entrada Michele, uma jovem deprimida que tenta depois de ser abandonada pelo marido, tirar a própria vida. Ela irá conhecer em cada porta que abrir daqueles corredores frios do Hospital,várias historias de pessoas lutando para viver, historias de abandono, de superação e amor. Envolva-se, emocione-se, sinta toda a realidade de quem doa ou recebe um órgão, e depois desta historia, sua visão sobre a vida não será mais a mesma.

Vale a pena a leitura.

Obrigado por ler este artigo, até o próximo!

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: